Datacenters: O Guia Para Iniciantes

Apesar de o Google não fornecer a localização exata de seus centros de dados, estima-se que pelo menos um deles esteja flutuando em alto mar – pelo menos é esse boato (que, para a gigante de tecnologia, tem cara de verdade) que circula no mundo da tecnologia da informação por quase dez anos.

Mas não é só o Google que precisa de um centro de dados, ou data center, e nem protegê-lo custe o que custar: qualquer empresa que trabalhe com a geração de dados e vise o crescimento deve se preocupar em desenvolver seu próprio data center ou contratar uma empresa terceirizada para lhe prestar esse serviço.

Mas, afinal, o que é um data center?

No dicionário de TI, esse é um dos principais verbetes, e significa o centro onde existe o processamento de dados, através de um ambiente totalmente projetado e equipado com servidores e aparelhos de processamento e armazenamento, com o intuito de sempre deixar todas as informações de uma empresa ativas na rede ou disponíveis para seus públicos internos.

Se a área de TI é considerada o cérebro das organizações, podemos dizer que o data center é seu sistema nervoso, concentrando os dados de milhares de fontes diferentes e espalhando-os para as pessoas ou setores que precisam deles em mãos para fazer um bom trabalho.

data center do google

Datacenter do Google

Como as informações são guardadas no Data Center?

Os data centers são equipados com hardwares específicos para o armazenamento de grandes volumes de informação, sendo os principais deles servidores que ficam guardados em armários metálicos ou racks automaticamente resfriados.

Na sala de servidores também podemos encontrar ar condicionado, iluminação especial, limpeza específica e manuseio extremamente cuidadoso por parte de funcionários e técnicos, tudo para evitar acidentes que comprometam a integridade física dos aparelhos onde os dados são armazenados.

Com o avanço da tecnologia, hoje os data centers mais modernos têm capacidade de processamento até quatro vezes maior do que os antigos centros, ocupando menos espaço e se utilizando de recursos mais seguros para manter as informações em sigilo.

Para que um data center esteja apto a trabalhar em seu máximo, é preciso que ele esteja equipado de:

  • Infraestrutura de rede (vai dar maior flexibilidade e acessibilidade às pessoas que acessam os dados do centro em questão);
  • Segurança física (como seguros contra acidentes, como incêndios, inundações e roubos);
  • Sistemas de refrigeração e energia (para evitar o superaquecimento das máquinas e garantir o bom funcionamento de todos os aparelhos do DC).

Quais são os tipos de Data Center?

Os mais comuns são o Data Center Privado (PDC) e o Internet Data Center (IDC), que podem ser utilizados nos modelos Corporativo Monolítico, Corporativo Compartilhado e ASP.

Indo por partes, o Data Center Privado, ou PDC, são aqueles que estão fisicamente incluídos dentro de uma corporação específica, como em um andar inteiro da empresa ou em um prédio anexo. O navio de servidores do Google, por exemplo, seria um modelo de PDC que funciona fora do ambiente da empresa, mas ainda pertence a ela.

Já o Internet Data Center, ou IDC, abriga servidores de empresas que terceirizam para outras os serviços básicos de data center, como hospedagem de sites e backups corporativos, fazendo todo o serviço de um centro de processamento sem estar, necessariamente, atrelado a uma única corporação. Assim, empresas que dispõem de serviços de IPC não precisam montar seus próprios limites físicos para essa finalidade.

Dentro desses dois principais tipos de DC, o modelo Corporativo Monolítico vai de encontro aos servidores que são de uma única empresa, ou seja, não são compartilhados com mais ninguém. Os data centers com aplicação Corporativa Compartilhada já permitem que diversas empresas ou pessoas se utilizem dos mesmos centros e servidores, ainda que seus negócios não façam parte dos mesmos nichos de mercado.

Por fim, o ASP diz respeito às companhias que utilizam a infraestrutura e o sistema de um data center completamente terceirizados, ou seja, com o serviço todo alocado fora da empresa. Nesse caso, o data center é utilizado – e cobrado – por espaço em memória e em rede, sendo uma boa forma de economia para empresas de pequeno e médio porte que necessitam de uma TI fortalecida.

Qual é o melhor tipo e modelo de data center?

Essa resposta vai depender, basicamente, de duas coisas: do tamanho da sua empresa e dos objetivos estratégicos que você tem para ela.

É bom, também, levar em consideração qual é seu orçamento de TI para definir quais são as melhores opções. Contudo, é bom lembrar que todas as possibilidades que vão de encontro à computação em nuvem são, hoje, as mais indicadas para diversos tipos de negócio.

Se você tem mais dúvidas sobre data center ou qual é a melhor saída para a sua empresa, converse com a Sinestec.

Compartilhe nas redes sociais:

Comente usando o seu Facebook: