Gestão e Automação de TI: Qual é a diferença?

Apesar de parecer que todas as nomenclaturas em tecnologia da informação levam ao mesmo lugar, algumas delas apresentam conceitos bem diferentes entre si. É o caso de gestão e automação de TI, que, embora signifiquem processos completamente diferentes, às vezes são tomadas pelas mesma coisa.

É comum, inclusive, que a tarefa de gestão seja feita por um departamento dentro da equipe de TI e a de automação por outro, para que aja organização entre as partes do todo e pleno controle sobre cada etapa da evolução informacional de uma empresa.

Se você ainda não conseguiu perceber as diferenças entre os conceitos, esse texto é para você. Nele, vamos falar sobre as sutis características que separam gestão e automação de TI e te dar insights para melhorar cada vez mais essas duas áreas dentro do seu negócio.

O que são Gestão e Automação de TI?

Enquanto a gestão de TI é um conjunto de metodologias, projetos e atividades que visam o alinhamento dos recursos de computação de uma empresa às suas estratégias, a automação de TI tem valor mais comercial, uma vez que é responsável por responder rapidamente a alterações de requisitos administrativos do negócio – e prover a segurança das informações armazenadas.

Por isso, embora gestão e automação de TI pareçam a mesma coisa, ambas atuam em frentes diferentes, mas de maneira complementar. Assim, não existe uma boa gestão de TI sem sua automação, e uma automação de TI nunca será suficiente sem uma boa gestão.

Um exemplo de gestão de TI é quando uma empresa cria uma área de suporte técnico que vai auxiliar outros departamentos da empresa a utilizar de forma mais eficiente os equipamentos de informática e sistemas do negócio, mas não mede, ao longo do tempo, a eficácia desse processo.

É de responsabilidade da equipe de gestão entender o valor do investimento feito frente aos resultados das outras equipes, principalmente em relação ao help desk criado. É a gestão quem cria melhorias para os recursos de TI da empresa, utilizados de forma interna, através da sugestão de práticas para a operação, infraestrutura e manutenção dos serviços de tecnologia da informação.

Resumindo, a gestão de TI vai trabalhar todas as tecnologias possíveis dentro do escopo de informática da empresa e monitorar o andamento de cada processo, certificando-se de que os investimentos em melhorias tecnológicas estão feitos da maneira mais proveitosa possível.

Ao trabalhar a gestão e automação de TI da sua empresa, fique atento para nomes que serão utilizados especialmente para a área de gestão, tais como COBIT (Control Objectives for Infornation and related Technology), PMBOK (Project Management Body of Knowledge), PMI (Project Management Institute) e Guia PMBOK (Guia do Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento de Projetos).

Todas essas siglas dizem respeito a conjuntos de práticas, normas e metodologias para melhorar a gestão de TI dentro de uma empresa.

Os segredos da automação de TI

Já a automação de TI é conhecida por ser mais discreta, algo bem de bastidor, mesmo. A equipe responsável pela automação não vai sair pela empresa tentando implementar práticas, mas será sempre cobrada por deixar toda a área de tecnologia de informação funcionando como deveria.

Quem trabalha com gestão e automação de TI costuma brincar que a automação é mais sentida pela sua ausência: quando ela funciona plenamente, ninguém nota; mas, quando falha… ninguém se esquece. Uma automação de TI pode ser, literalmente, catastrófica.

Por isso, a automação de TI deve ser uma das áreas da empresa a receber investimentos mais assertivos, uma vez que sua ineficácia pode resultar em desvantagens competitivas graves para o core business da operação.

E, já que falamos em operação, vale lembrar que a automação funciona através de uma série de rotinas, uma vez que aproximadamente 80% das atividades de TI são repetitivas e precisam ser apenas monitoradas de maneira correta. Afinal, a não execução dessas ações geram risco iminente à segurança do negócio e de suas informações.

É preciso incutir na equipe de automação de TI a cultura de busca pelas melhores práticas, produtos e serviços que deixarão a empresa num patamar de tranquilidade difícil de se romper, pelo menos no que tange à informação.

E, nesse caso, terceirizar a automação pode ser uma boa ideia, visto que um parceiro externo pode se responsabilizar pelas rotinas repetitivas e deixar os técnicos da empresa mais livres para trabalharem em frentes mais estratégicas – como a gestão de TI, por exemplo.

Ainda tem dúvidas sobre as diferenças entre gestão e automação de TI, ou quer saber mais sobre como essas áreas podem ser terceirizadas? Fale com a gente! Temos as melhores soluções em tecnologia da informação para o seu negócio.

Compartilhe nas redes sociais:

Comente usando o seu Facebook: