Melhores práticas de governança na nuvem

governança na nuvem
Com a maturidade cloud computing, as empresas não se preocupam mais “se” devem ir para a nuvem, e sim quais as melhores práticas para migrar e para gerir aplicações em nuvem. No que tange a governança, uma das principais preocupações da TI e da gestão das empresas, a cloud computing pode trazer desafios, portanto nós preparamos alguns pontos dos quais as empresas devem se atender:

Definição do modelo de nuvem

Em cloud computing, existem os modelos de nuvem público, privado e híbrido. É muito comum que uma mesma empresa possua diferentes aplicações em diferentes modelos de nuvem, pois cada uma atende uma necessidade diferente. É necessário entender qual a mais adequada para cada demanda.

Entender os contratos envolvidos

Embora a computação em nuvem ser mais segura e simples do que um servidor local – onde supostamente uma pessoa não desejada pode ter acesso – é preciso entender quais são as políticas de privacidade do provedor e os pormenores envolvidos para garantir que aplicação está de fato no ambiente adequado e que a empresa não terá “surpresas”.

Identificar se o benefício cobrirá os custos

Na maior parte dos casos, vale a pena para a empresa migrar para a nuvem, pois, no longo prazo, ela obtém o retorno do investimento. Contudo, é preciso avaliar com a devida atenção se o projeto cabe no orçamento da empresa para não gastar dinheiro em um projeto desnecessário.

Como será feito o gerenciamento dos recursos

A equipe interna está capacitada para gerir essas novas tecnologias? Além de capacitada, possui tempo para administrar ainda mais essas atividades? Possivelmente, seja necessário contratar recursos extra e/ou confiar a responsabilizar em um parceiro que possua os conhecimentos e ofereça o contingente necessário.

Controle de acesso

Assim como em uma rede local, as aplicações, arquivos e informações possuem as devidas regras de acesso e restrições. É preciso contemplar essa política e assegurar, principalmente, o acesso externo para evitar que pessoas indesejadas tenham acesso à informações sensíveis do negócio.

Alinhamento aos processos de negócios

É vital que a mudança de tecnologia para a nuvem não impacte no andamento dos processos de negócios – pelo contrário, que agregue com mais segurança e desempenho. Essa questão, que soa tão lógica, requer um conhecimento além do técnico de quem ficará responsável pelo projeto, seja a equipe interna ou de um parceiro.

Mapeamento do uso das aplicações

É fundamental que a TI tenha controle das aplicações utilizadas pelos usuários. Com a facilidade de se adquirir um SaaS, por exemplo, usuários de departamentos podem assinar ferramentas por conta que não estão alinhadas ao negócio e que podem gerar vulnerabilidade da empresa.

Políticas de segurança

Uma das propostas da nuvem é descomplicar a TI. Contudo, não podemos negligenciar que a segurança muda quando as informações passam a ficar fora da empresa. É necessário monitorar os serviços, proteger contra ameaças e garantir a continuidade das informações no caso de um desastre.
Enfim, de uma forma simplista, essas são algumas práticas recomendadas pelos especialistas da Sinestec. É claro que um projeto de nuvem que contemple governança envolve aspectos muitos mais profundos, porém os tópicos aqui abordados são um ponto de partida.

Se a sua empresa busca um parceiro de nuvem capaz de implantar e gerenciar com segurança e alinhamento aos processos de negócios, conte com os especialistas da Sinestec.

Pensando em migrar para a nuvem?

A Sinestec possui um time de especialistas capaz de implantar e gerenciar o processo com toda a confiabilidade e expertise que você deseja para a sua empresa

Compartilhe nas redes sociais:

Comente usando o seu Facebook: