Por que contratar um estagiário de TI nem sempre é uma boa ideia?

Poucas experiências no mercado de trabalho são tão legais quanto o estágio: quando ofertado de maneira ética e correta, é um negócio bom tanto para o empregador quanto para quem está prestes a ser empregado.

No estágio, que geralmente é cedido a estudantes em formação universitária, a empresa dispõe de um profissional que trabalha por meio período e, por isso, paga um valor menor do que o de um salário padrão. Além disso, pode diminuir os custos com benefícios como alimentação, já que o tempo de trabalho do estágio geralmente não engloba horas o suficiente para exigir o ticket de almoço.

Além disso, o contrato de estágio não precisa ser tratado pela CLT usual, fazendo com que a empresa não seja obrigada a pagar tributos como FGTS, férias e 13o salário.

Por outro lado, se souber escolher bem a oportunidade que mais vai lhe somar conhecimento, o estudante vai aprender algo relacionado com sua área de estudos, ter um período do dia livre para estudar e começar a fazer o networking necessário para conseguir um emprego depois de formado. E, para completar, se estiver em uma área que conta pontos de prática profissional para a entrega do diploma, o estágio é uma boa forma de conseguir essa documentação.

Em termos de mercado – principalmente em tempos de crise –, ter estagiários na sua área de TI parece a melhor saída para a sua empresa? Pode até ser que eles estejam em um espectro mais fácil de gestão e contratação e proporcionem alguma economia financeira. Mas, antes de tomar sua decisão, vamos te mostrar porque contratar um estagiário para tecnologia da informação nem sempre é uma boa ideia.

Razão #1: Alta rotatividade

O estágio é um modelo de trabalho temporário, fazendo com que a rotatividade do cargo seja bem alta. Para algumas atribuições, não é possível ter um mesmo estagiário por mais de um ano, devendo a empresa contratá-lo em CLT se quiser aproveitar seu talento.

Se o seu negócio depende de um time mais perene, comprometido com os ideais da empresa no longo prazo, o estagiário não é a melhor saída para complementar a equipe, ainda que seja a saída mais barata.

Razão #2: Falta de Prática

O motivo de o programa de estágio existir é, justamente, ensinar uma nova profissão a quem está apenas estudando a teoria sobre ela. Ou seja: ninguém vai chegar para uma vaga de estágio com a bagagem prática de um profissional que está há muitos anos no mercado.

Por isso, se você precisa de pessoas especialistas em determinados pontos de TI, é melhor procurar diretamente pelos profissionais capacitados ou por empresas que terceirizem o serviço necessário.

Contrate um estagiário apenas se a falta de prática dele não for um obstáculo, e sim um vantagem: treinar uma pessoa sem vícios de atuação para trabalhar em uma empresa que tem processos peculiares é uma das coisas mais fáceis de se fazer, mas exige tempo e paciência. Se você não tem alguma (ou nenhuma) dessas características, deixe a ideia de ter um estagiário de lado.

Razão #3: Orçamento Estourado

Às vezes, para aumentar o desempenho de uma área específica da empresa, as companhias apostam em um time grande de estagiários. A ideia, aqui, é chamar os novatos para assumir responsabilidades que poderiam ser trabalhadas por veteranos, mas o orçamento está apertado para contratar pessoas com salários mais altos.

No fim das contas, essa é uma conta ilusória, pois o estagiário vai trabalhar apenas meio período – e você vai precisar de, pelo menos, duas pessoas para fazer o trabalho de uma. Nesse caso, coloque na ponta do lápis e veja se não vale a pena, ao invés de contratar diretamente na faculdade, procurar uma empresa que preste serviços de TI e que podem ter um orçamento mais barato do que os gastos que você vai ter com o desfile de estagiários na empresa.

Quer saber mais como tirar o melhor proveito da sua TI, com ou sem estagiários? Fale com a Sinestec! Podemos te ajudar a descobrir quais são os melhores caminhos empresariais para que seu negócio atinja altos níveis de sucesso.

Compartilhe nas redes sociais:

Comente usando o seu Facebook: